19.07.2011

APS e CP Carga assinam protocolo de colaboração

 

A CP Carga S.A. e a Administração do Porto de Sines S.A. assinaram um protocolo de colaboração com o objectivo de desenvolver soluções logísticas de base marítimo-ferroviária, que possam potenciar a competitividade do porto.

Esta colaboração permite expandir as oportunidades de negócio, com a criação de novas soluções logísticas integradas, promovendo a expansão da área geográfica do mercado ao espaço internacional, com particular relevância à escala Ibérica.

A assinatura deste protocolo insere-se numa das principais linhas estratégicas de desenvolvimento da CP Carga, que tem como base o crescimento da actividade de e para os portos nacionais, que representam já cerca de 50% da actividade da Empresa.

O Porto de Sines e a sua Zona Industrial e Logística são actualmente uma referência ibérica em transporte ferroviário de mercadorias, com mais de 20 comboios diários, transportando em média mais de 10.000 toneladas/dia. No importante segmento da carga contentorizada continua a registar-se um bom crescimento, tendo no 1.º semestre de 2011 sido operados mais 12% de comboios, ou seja, 1.329 comboios contra 1.182 nos primeiros seis meses de 2010.  

Actualmente, face aos fortes investimentos em Sines, nomeadamente nas unidades fabris e logísticas da ZILS e no Terminal de Contentores de Sines (TXXI), o transporte ferroviário de mercadorias apresenta um forte potencial de crescimento em novos tráfegos. Com efeito, o desenvolvimento de serviços marítimos directos aos principais mercados internacionais, através de navios de última geração com fortes economias de escala, associado ao potencial de crescimento no hinterland em todo o corredor até Madrid, abrem novas oportunidades de negócio nas cadeias logísticas marítimo-ferroviárias.

Este Protocolo vai permitir continuar a desenvolver as condições para o reforço da posição de Portugal como plataforma logística e país exportador, contribuindo ainda para a necessária melhoria da competitividade da economia portuguesa.

Voltar a notícias